De Fenais a Fenais: Cultura Matriz do Desenvolvimento Local

De Fenais a Fenais

Promotor: Museu Carlos Machado através da Direção Regional da Cultura dos Açores

Parceiros:

Stefansson Arctic Institute

Húsavík Whale Museum

The Whale, AS

Dinamia-CET -IUL /ISCTE

GEPAC - Gabinete de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais

UiT The Arctic University of Tromsø

Financiamento EEA Grants: 644 276,20

Financiamento Total: 1 205 494,00

Programa:

 

O projeto De Fenais a Fenais: Cultura Matriz do Desenvolvimento Local irá desenvolver-se territorialmente na zona costeira norte da ilha de S. Miguel - Açores, abrangendo os concelhos de Ponta Delgada e Ribeira Grande, a partir da intervenção em dois imóveis em vias de classificação de interesse público e municipal, que urge conservar, salvaguardar, reabilitar e readaptar.

O primeiro imóvel, um edifício datado do século XVI, situa-se na freguesia dos Fenais da Luz, pequena localidade costeira da zona norte do concelho de Ponta Delgada, conhecido como a Casa do Dízimo é um espaço historicamente simbólico para a comunidade na preservação da sua memória coletiva.

O imóvel irá acolher, mediante acordo de parceria com a Junta de Freguesia e a Associação Núcleo Etnográfico, o Centro de Conhecimento do Património e Desenvolvimento Costeiro que terá como principal função atuar de forma articulada sobre o património cultural, natural e social, dando sustentação técnico-científica aos processos de investigação, salvaguarda, valorização e recriação do mesmo nas freguesias de Fenais da Luz, Rabo de Peixe, Maia e Fenais da Ajuda, na afirmação das identidades locais e no fortalecimento dos seus processos de coesão social.

O segundo imóvel, uma escola do plano dos centenários da Lombinha da Maia, construída em 1950, a necessitar de uma intervenção de conservação preventiva e reabilitação de algumas superfícies, na defesa de um edifício único da história do ensino primário da Maia, concelho da Ribeira Grande, com uma importante panorâmica paisagística sobre a costa, cuja readaptação funcional dará acolhimento a uma Incubadora Cultural para a Inovação e Empreendedorismo Local, numa parceria direta com a Junta de Freguesia e Casa do Povo da Maia, que visa recuperar o saber-fazer antigo das comunidades, atuando em simultâneo como laboratório de identificação, estudo, experimentação e valorização do património gastronómico micaelense e como espaço de recriação e produção do mesmo de forma a se gerarem mais-valias competitivas, assentes na criação de pequenas empresas inclusivas.

A partir destes dois imóveis, intervindo em rede, será ainda patrocinada a criação do Centro Comunitário das Artes e Ofícios da Pesca e do Mar de Rabo de Peixe, numa parceira direta com a Junta de freguesia de Rabo de Peixe e da Associação VidAçor que acolherá o centro interpretativo da cultura marítima e piscatória das “gentes” de Rabo de Peixe, cujo conhecimento sobre as artes de pesca será aprofundado pela ciência, procurando ensinamentos úteis para a preservação da fauna marinha e costeira.