Reservas da Biosfera: territórios sustentáveis, comunidades resilientes

Reservas da Biosfera: territórios sustentáveis, comunidades resilientes

Promotor: Quaternaire Portugal SA

Parceiros:
  • Universidade de Coimbra
  • Universidade Nova de Lisboa – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas
  • PC&A – Consultores de Marketing Estratégico, Lda
  • Instituto Pedro Nunes, Associação para a Inovação e Desenvolvimento em Ciência e Tecnologia
  • Ordem dos Biólogos
  • KEEP – Knowledge for Peace, People and the Planet
  • Universidade de Bergen
  • Nordhordland Utviklingsselskap IKS
  • Icelandic National Commission for UNESCO

Financiamento EEA Grants: 2 198 666,46

Financiamento Total: 2 198 666,46

Programa:

O projeto visa a valorização dos territórios em cumplicidade com as comunidades, compreendendo os ativos patrimoniais e serviços de ecossistema, e apostando no reforço das competências e no modelo de governança. Os Planos de Desenvolvimento Sustentável (PDS), seguindo metodologias participativas, serão o quadro programático, visando o desenvolvimento territorial diferenciado, a resiliência e sustentabilidade das RB.

Os PDS serão instrumentos orientadores em cada reserva e entre as RB nacionais e as redes temáticas e geográficas internacionais. Desenvolver-se-ão a partir do aprofundamento do conhecimento das RB , em especial a sua identidade sociocultural refletida nas suas memórias e os serviços dos ecossistemas, base de ações-piloto demonstrativas e prioritárias (adaptação, economia circular) e posterior disseminação. Um sistema de indicadores e de monitorização robusto garantirá uma gestão flexível e adequada à evolução de fatores de risco e incertezas.

A dimensão do conhecimento, compreendida como ferramenta de transformação social e valorização territorial, é assegurada pela parceria entre universidades (portuguesas e norueguesa), as cátedras UNESCO de Coimbra, Bergen e Nova de Lisboa, e a participação de uma rede internacional nas áreas da ecologia, biodiversidade e sustentabilidade, promovendo novas dinâmicas de investigação interdisciplinar. Sublinha-se a valorização integrada do capital natural das RB, através do mapeamento e valorização dos serviços dos ecossistemas, envolvendo as comunidades na identificação de prioridades, em seu benefício e da sustentabilidade dos territórios.

Criar-se-á uma infraestrutura digital, transversal às diversas áreas do projeto, refletindo as múltiplas dimensões associadas às RB, fomentando dinâmicas colaborativas e inovadoras, a gestão individual e parcerias entre as RB, a promoção de atividades em setores chave como o turismo, conservação da natureza, empreendedorismo, economia local, investigação, ciência aberta, memória e identidade criação e produção cultural. A infraestrutura suportará também um ambicioso programa de comunicação e sensibilização e envolvimento das comunidades e da sociedade em geral.

Propõem-se ações de sensibilização dirigidas a públicos específicos em setores como o turismo, a cultura, a investigação e a educação. A Ordem dos Biólogos aporta a experiência e rede das Olimpíadas da Biologia, garantindo uma participação alargada de escolas e autarquias a nível nacional.

O projeto conta com uma coordenação muito experiente ao nível do planeamento e desenvolvimento territorial, em metodologias participativas e no âmbito do Programa MAB, quer no desenho e dinamização de novas RB, capacitação de já existentes, quer na gestão do Programa MAB da UNESCO.

Ver apresentação